Tecnologia de Ponta

A Napsis utiliza tecnologia de ponta para o desenvolvimento dos seus produtos, para assim oferecer aos seus clientes ferramentas de última geração.


Nossos Softwares são desenvolvidos sob a plataforma Microsoft, com as ferramentas Visual Basic utilizando os bancos de dados SQL Server e o MSDE.



Microsoft Visual Basic

O Visual Studio é um conjunto de ferramentas integradas, produtivas e com um ciclo de vida extensível que aumenta a linha de produtos do Visual Studio para permitir maior comunicação e colaboração entre as equipes de desenvolvimento de software. Com ele, as organizações podem garantir maior previsibilidade e qualidade antes e durante todo o processo de desenvolvimento de software. O Visual Studio permite a criação de soluções dinâmicas baseadas no Windows, na Web, Dispositivos Móveis e no Office. Com o Visual Studio conseguimos uma garantia de qualidade antes e durante todo o processo de desenvolvimento.

Microsoft SQL Server

Hoje em dia negócios demandam um tipo diferente de solução em gerenciamento de dados. Desempenho escalabilidade e confiabilidade são essenciais, mas atualmente as empresas esperam mais de seus principais investimentos em TI.

O SQL Server supera os requisitos e proporciona capacidades inovadoras que aumentam a eficiência de funcionários, integram sistemas de TI heterogêneos e maximizam o uso das verbas. O SQL Server fornece a plataforma de gerenciamento de dados corporativa que sua organização precisa para se adaptar rapidamente em um ambiente de constantes mudanças.

Com os custos de implementação e manutenção mais baixos do Mercado, o SQL Server proporciona retorno rápido do investimento em gerenciamento de dados e dá suporte ao desenvolvimento rápido de aplicações corporativas que podem dar a sua empresa uma vantagem competitiva substancial.

Com benchmark para escalabilidade, velocidade e desempenho, o SQL Server é um produto de banco de dados corporativo, fornecendo suporte interno para Extensible Markup Language (XML) e consultas pela Internet.

Ferramentas práticas de Business Intelligence (BI)

Através de capacidades poderosas de análise e busca de dados que se integram a aplicações familiares como o Microsoft Office, o SQL Server permite a você proporcionar ao todos os seus funcionários informações administrativas cruciais para propósitos específicos na hora certa. Cada cópia do SQL Server acompanha um conjunto de serviços de BI.

Capacidades de Auto Direcionamento e Gerenciamento

Recursos revolucionários e dinâmicos de auto-desempenho e auto-configuração otimizam o desempenho do banco de dados enquanto ferramentas de gerenciamento automatizam atividades padrão. Ferramentas e assistentes gráficos simplificam a configuração, o design do banco de dados e o monitoramento do desempenho, permitindo aos administradores de bancos de dados focar as necessidades estratégicas do negócio.

Aplicações e Serviços de Gerenciamento de Dados

Diferentemente de seus competidores, o SQL Server fornece uma poderosa e detalhada plataforma de gerenciamento de dados. Cada licença de software inclui ferramentas detalhadas de gerenciamento e desenvolvimento, uma ferramenta poderosa de extração, transformação e carga, serviços de análise para soluções de business intelligence e novas capacidades tais como Serviços de Notificação. O resultado disso é o melhor valor de negócio disponível.

MSDE

Desenvolve aplicações que podem ser escalonadas diretamente de computadores portáteis para clusters multiprocessados com estes data warehouses locais que podem ser embutidos e redistribuídos.

Biometria

Biometria é mais bem definida como sendo as mensurações fisiológicas e/ou características de comportamento que podem ser utilizadas para verificação de identidade de um individuo.Elas incluem Impressões Digitais, Voz, Retina, Íris, Reconhecimento de Face, Imagem Térmica, analise de Assinatura, Palma da Mão e outras técnicas. Elas são de grande interesse em áreas onde é realmente importante verificar a real identidade de um individuo.Inicialmente estas técnicas eram empregadas em aplicações especializadas de alta segurança, entre tanto nós estamos vendo agora sua utilização e proposta de uso em uma grande e crescente área de situações em utilizações publicas no nosso dia a dia.

Elas são de grande interesse em áreas onde é realmente importante verificar a real identidade de um individuo.Inicialmente estas técnicas eram empregadas em aplicações especializadas de alta segurança, entre tanto nós estamos vendo agora sua utilização e proposta de uso em uma grande e crescente área de situações em utilizações publicas.

Biometria torna-se viável e acessível

Após anos de amadurecimento, as tecnologias de reconhecimento de características corporais se estabilizam e chegam a patamares de custo que permitem sua utilização em aplicações de segurança.

"Esta assinatura não é minha". Tal tipo de alegação era comum entre comerciantes indianos do século XIV, que repudiavam os acordos contidos em contratos assinados. O oficial britânico William Herschel, então, criou o sistema de identificação por impressões digitais, que passou a fazer parte da autenticação dos contratos. O reconhecimento biométrico, de forma geral, faz parte de nossa própria natureza, pois primatas e humanos há milênios identificam os indivíduos pela face. Todavia, traduzir essa capacidade de autenticação em soluções de computação foi um árduo desafio para as indústrias nas últimas décadas. A boa notícia é que o acúmulo de experiências e investimentos resultou, hoje, em produtos que realmente funcionam e chegam a custos que viabilizam a disseminação da tecnologia. Entre as diversas modalidades de reconhecimento biométrico, a impressão digital, neste momento, é o método mais comum. Com a escala, os preços dos leitores (o scanner que captura a digital) caíram e o software ficou mais eficiente. Apontamos dois projetos do Governo Federal, de uso de biometria para prevenção a fraudes. No cadastramento dos eleitores pelo Tribunal Superior Eleitoral, será coletada a digital, para conferência na hora da votação. Quando o cidadão entrega seu título e coloca o dedo no leitor, o mesário vai ver sua foto no terminal. O confronto de todos esses dados praticamente elimina as brechas para fraudes. Outra aplicação seria para controle de freqüência escolar pelo MEC, cujo objetivo é garantir a presença dos alunos cujas famílias são beneficiadas pelo Bolsa Escola.

O mercado financeiro aguarda por referências em outros setores para partir para suas próprias iniciativas. Os bancos constituem um mercado estratégico (para os fornecedores de tecnologia biométrica), mas precisam ter plena certeza quanto à eficácia da tecnologia. Se um banco utilizasse e não desse certo por algum motivo, a credibilidade da tecnologia iria ser abalada e teríamos um retrocesso difícil de superar. A Napsis (provedora de serviços de TI) acaba de anunciar a oferta de uma solução de combate a fraudes no setor de saúde, com o uso de identificação biométrica nos pontos de atendimento. Não há dúvidas quanto ao retorno de investimento, pois as operadoras de planos de saúde têm uma enorme evasão de receitas (com o uso da carteira do beneficiário por outras pessoas). Além da segurança para as operadoras, os clientes finais também passam a contar com um atendimento mais rápido. Na primeira vez que o paciente vai a uma clínica ou hospital, sua impressão digital é cadastrada. No próximo atendimento, basta colocar o dedo sobre o leitor para ser identificado e autenticado. Esse processo não leva mais de um segundo e a taxa de erro é inferior a 0,1%. A base de dados pode ser hospedada remotamente e acessada de forma segura pela web.

Responsabilidade pessoal - Seja pelos grandes escândalos corporativos, pelo temor de quebradeiras globais no sistema financeiro ou pela conduta de algumas autoridades públicas, a autenticação biométrica é vista hoje como forma de evitar alegações como "emprestei meu smart card para o tesoureiro", ou "revelei a senha para minha secretária", na hora de justificar uma transação autenticada. A segunda onda dos Certificados Digitais é a inclusão de informações biométricas no documento (como acontece com o RG convencional), para estender o nível de segurança. Novas regulamentações como a Lei Sarbanes & Oxley (que trata de governança corporativa nos EUA) exigem a identificação da pessoa física responsável pelas decisões ou transações que gerem problemas legais ou econômicos. Ao mesmo tempo, os dirigentes das companhias também precisam aumentar o rigor dos mecanismos internos de autenticação e controle de acesso, diante do percentual de violações (70%, segundo a IDC) feitas pelos próprios funcionários. O simples uso do certificado digital, mesmo sem biometria, fomentou uma organização maior da atribuição de responsabilidades. Muitos funcionários, quando perceberam que passaram a assinar as transações com seu certificado pessoal, tomaram a iniciativa de discutir com a empresa a definição de representantes legais. A convergência entre a Assinatura Digital Certificada e a biometria resolve ainda a incômoda questão do armazenamento e custódia das informações biométricas. Hoje, somos obrigados a deixar nossas digitais em dezenas de bases de dados nos prédios que visitamos, ou em outros cadastros de segurança. Com o certificado digital, todas as informações necessárias ficam restritas ao próprio documento. Hoje, quando usamos o certificado digital, digitamos a chave que permite a autenticação eletrônica. A informação biométrica funciona como uma outra chave: além da senha, temos que colocar o dedo em um leitor para ativar o certificado. A partir da validação do certificado, qualquer um pode ter certeza de que você é você mesmo, sem precisar coletar e guardar seus dados biométricos.

Origem da biometria

Como isto tudo começou?

Isto nos leva a pensar sobre biometria como uma tecnologia futurista SCI-FI que deveríamos estar utilizando junto com carros com energia solar, pílulas de alimentação e outros equipamentos futuristas em algum lugar do futuro próximo. Esta imagem popular sugere que estes produtos são do final do século 20 na era dos computadores.Na verdade, os princípios básicos da verificação biométrica foram compreendidos e exercitados um pouco antes. Centenas de anos antes para ser preciso, nossos amigos no Vale do Nilo empregavam verificação biometria em um grande numero de situações de negócios diariamente.

Existem diversas referencias sobre indivíduos sendo identificados por características físicas e parâmetros como cicatrizes, critérios de mensuração física ou a combinação de características mais complexas como cor dos olhos, altura e assim por diante. Estes seriam freqüentemente utilizadas no setor de agricultura onde grãos e provisões seriam estocados em uma central de reposições e aguardavam para movimentações futuras após identificação dos proprietários. Com certeza eles não possuíam leitores biométricos e redes de computadores (até a onde sabemos), e certamente eles não estavam lidando com um numero de indivíduos que temos que lidar hoje, mas os princípios básicos são similares. Mais tarde, no século dezenove houve um pico de interesse em pesquisas criminalísticas na tentativa de relacionar características físicas com tendências criminais. Isto resultou em uma variedade de dispositivos para mensuração sendo produzidos e muitas informações sendo coletadas.

Os resultados não foram conclusivos mas a idéia de mensurar características físicas individuais prosseguiu e os desenvolvimentos paralelos com impressões digitais tornarem-se métodos internacionais utilizados por forças policiais para identificação e verificação. Completa e única; porem, impressões digitais são freqüentemente debatidas, e os critérios que diferentes paises utilizam para verificar uma impressão digital variam ao redor do mundo com maiores ou menores números de pontos de minúcias requeridas para serem identificadas. Adicione a isto a questão de interpretação pessoal a qual pode ser pertinente em casos duvidosos. Nunca menos, esta é a melhor metodologia oferecida e ainda a numero um para as forças policiais, embora o processo de identificação seja muito automatizado em nossos dias.

Com este background, não foi surpresa que por muitos anos a fascinação tenha ocupado a mente de indivíduos e de organizações com a possibilidade de utilização de eletrônicos e a força de microprocessadores para automatizar a verificação de identidades para os setores militares e comerciais.Vários projetos foram iniciados para verificar o potencial da biometria e foi produzido um leitor grande e desajeitado leitor da geometria da mão. Não era bonito , mas trabalhava e motivados seu design e concepção mais a frente foi refinado. Mais tarde , uma pequena empresa especializada criou uma unidade muito menor, e um leitor mais aprimorado da geometria da mão tornou-se o principio da industria biométrica atual.

Equipamentos biométricos que trabalham com Impressões Digitais são um grande aprimoramento e são utilizados em numerosos projetos biométricos por todo o mundo.Em paralelo, outros métodos biométricos estão sendo desenvolvidos, melhorados e refinados até o ponto em que se tornem realidades comerciais. Nestes anos recentes, nos temos visto muito interesse nas técnicas de Scaneamento de Íris e reconhecimento facial., tecnologias potencias de reconhecimento sem contato, entre tanto existe muita polemica a este respeito. A ultima década tem sido da maturação da industria biométrica e industrias especializada brigando de mãos cheias por vendas por um mercado global equilibrado obtendo um respeitável numero de equipamento e um significante crescimento com uma larga escala de aplicações começam a se desdobrar

screen